Alguns me chamam de Laris.

reticente.

Mais um.

Então é Natal e o que eu fiz? Bom, não fiz nada como sempre, não fiz nada útil esse ano e nem especificamente no natal, até porque não poderia ser diferente, falta qualquer tipo de condição pra tornar esse fim de ano memorável de forma positiva, talvez a única condição que eu tenha é estar viva mas muitas vezes não é suficiente, nesse dia 24 eu olho tudo da margem, de longe, aprecio meu passado como um gole de vinho, degustando cada pequena sensação fracionária do que me aconteceu nesse 2011, do que ficou e do que se foi, das coisas que mudaram de cima á baixo e das coisas que continuam sendo iguais, das pessoas que eu quero que fiquem e de outras que sinceramente eu to abrindo mão, eu finalmente estou superando a carência de querer que alguém fique só porque é "alguém" sem no mínimo me importar de como esse alguém realmente seja, cansei mesmo de gente que é uma coisa hoje e amanhã outra, não, não gosto disso, nunca gostei, nunca fui assim portanto nunca quis gente assim do meu lado, tento ficar catando as migalhas, juntando pedaços, tentando contornar o já incontornável, peço desculpas á mim mesma por me colocar em último plano assim, poxa, as pessoas gostam de mim, eu me considero uma ótima amiga, sem falsa modéstia, sou quase um travesseiro e esse é meu maior orgulho como pessoa e é quase uma profissão ser uma pessoa naturalmente amiga onde meu salário é abraço, é sorriso, é o "to com muita saudade" é o "eu te amo" verdadeiro, reciprocidade é necessário em tudo e infelizmente estou saindo como idiota em um aspecto essencial de tudo isso, e é bem esse "Amizade" melhor amizade, e nesse natal vou mesmo refletir, parar de bancar uma de cachorro abandonado sabe? Eu não mereço ser tratada com frieza, secura, ou ter só um termo, um título, duas palavras, se a verdade e o coração se perdeu pra mim o "tudo" dentro disso esta perdido, e enfim, quanto as expectativas de fim de ano a minha é "não criar expectativas" sonhar é bom sim, sonhar foi tudo até pouco tempo atrás mas agora não faz mesmo um sentido maduro, a realidade ta aí, pra ser vivida, pra ser superada, pra ser REALIZADA e nosso papel é estar incluso nessa coisa toda, meu papel agora é esse, me permitir viver, me permitir sentir o vento batendo no rosto, trilhar um caminho novo, um caminho único, o meu caminho.

Followers

Ocorreu um erro neste gadget

past...

Tecnologia do Blogger.